Você sabia que o simples fato de escovar os dentes pode ser muito positivo para a prevenção do Alzheimer? De acordo com estudos científicos, a higiene bucal tem papel importante para combater esta doença. 

De acordo com um estudo publicado pela Alzheimer’s Association, a escovação dos dentes pelo menos duas vezes por dia, aliado ao uso de fio dental e um acompanhamento frequente de dentistas, previne que, ao longo do tempo, o desenvolvimento do Alzheimer.

Segundo a presidente da Câmara Técnica de Odontogeriatria do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), dra. Denise Tibério, o portador de Alzheimer precisa ter um cuidado especial para não desenvolver doenças periodontais. 

“A gengivite e a periodontite estão relacionadas com o acúmulo de placas bacterianas na superfície dentária, por isso a dificuldade de higienização à medida que a doença prospera, fazendo com que aumentem os biofilmes nas superfícies dentárias, evoluindo mais a progressão dessas doenças bucais”, informou em entrevista ao Jornal Odonto e Saúde Integral. 

Portanto, a principal arma é a prevenção, principalmente quando se trata dos pacientes idosos.

Problemas bucais aliados ao Alzheimer

Em 2021, uma revisão de literatura publicada na Revista Eletrônica Acervo Científico, produzida pelo Centro Universitário Atenas, de Minas Gerais, sugeriu que doenças periodontais estão relacionadas com o mal de Alzheimer.

Esta doença, que poderá atingir 150 milhões de pessoas até 2050, segundo um estudo do Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde da Universidade de Washington (EUA).  

Mas qual a relação das bactérias causadoras da periodontite com o Alzheimer? É porque elas acarretam uma resposta inflamatória sistêmica agravada pelas células de defesa do paciente.

Consequentemente,  esse quadro facilita seu desenvolvimento, em pessoas predispostas, ampliando os efeitos nocivos dos portadores da demência.

Portanto, o acesso das bactérias ao córtex cerebral libera citocinas pró-inflamatórias, constituem um mecanismo pelo qual a periodontite pode se relacionar com o desenvolvimento do Alzheimer. 

E quando uma pessoa sofre com a doença, sua higiene bucal passa a ficar comprometida, aumentando ainda mais o estado de confusão mental do paciente e, também, seu comportamento, manifestando estresse, irritação e desconforto.

A presença do profissional de odontologia é fundamental para o tratamento desses pacientes com Alzheimer ou qualquer outra demência identificada desde a fase de planejamento do tratamento, seja para atendimento em consultórios, hospitais, asilos, ou em domicílio.

 

Cuide da sua saúde bucal na Essentia Odonto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *